... de Pernambuco, do Brasil e do Mundo! Descubra e compartilhe sua natureza.
  1. Mídias
  2. Acanthochitona crinita

Acanthochitona crinita

Publicado por Aléssio F.

no dia 17/06/2024

28 visualizações

0 comentário

Acanthochitona crinita

Uma nota está vinculada à imagem. Passe o mouse sobre a imagem para exibir a nota.

Escala do sujeito : não informado

Descrição

Acanthochitona crinita, comumente conhecida como quíton de cerdas, é uma espécie de molusco marinho encontrada ao longo das costas rochosas do nordeste do Oceano Atlântico, incluindo o Mar do Norte e o Mar Mediterrâneo. Esse molusco de formato oval é notável por sua concha protetora composta de oito placas interligadas, que podem apresentar uma grande variedade de cores, como cinza, marrom ou verde, muitas vezes com padrões marmorizados ou listrados [1]. A concha tem menos da metade do comprimento e da largura, e o quíton pode atingir até 34 mm de comprimento. A cintura que envolve as placas é adornada com tufos de cerdas curtas, que contribuem para sua aparência espinhosa.

Acanthochitona crinita ocorre na parte baixa da costa e em zonas sub-litorâneas rasas, especialmente em áreas com forte ação das ondas. Os indivíduos tendem a se esconder sob pedras para evitar a dessecação quando não estão submersos. Como herbívoro, se alimentam de algas coralinas usando sua rádula  , aparelho de alimentação especializado e exclusivo dos moluscos, com fileiras de dentes especialmente resistentes, compostos por magnetita (Fe3O4), um biomineral ferroso de dureza 6,5 na escala Mohs [2]. A espécie desempenha um papel importante no ecossistema marinho, contribuindo para o controle do crescimento de algas nas rochas. A reprodução envolve sexos separados, e a fertilização ocorre dentro da cavidade do manto da fêmea, seguida por um estágio larval planctônico antes que os juvenis se estabeleçam e se desenvolvam em quítons adultos.

Registro realizado no dia 9 de maio de 2024, na praia de Penmarc’h, sul da Bretanha, França. Na foto é possível observar dois quítons com cores bem diferentes. É um exemplo da variedade de fenótipos que a espécie pode apresentar. Entre os dois quítons, um pequeno caranguejo, provavelmente da espécie Pisidia longicornis, parece buscar proteção ou se esconder do curioso observador.

Marcadores do autor

28/28

Observações

[1Kaas, P. (1985). The genus Acanthochitona Gray, 1821 (Mollusca, Polyplacophora) in the north-eastern Atlantic Ocean and in the Mediterranean Sea, with designation of neotypes of A. fascicularis (L. 1767) and of A. crinita (Pennant, 1777). Bulletin du Muséum National d’Histoire Naturelle. ser. 4, 7(3), section A (Zoologie): 579-603.

[2Kim, K. S., Macey, D. J., Webb, J., & Mann, S. (1989). Iron mineralization in the radula teeth of the chiton Acanthopleura hirtosa. Proceedings of the Royal Society of London. B. Biological Sciences, 237(1288), 335-346.

Comentar

Quem é você?

Pour afficher votre trombine avec votre message, enregistrez-la d’abord sur gravatar.com (gratuit et indolore) et n’oubliez pas d’indiquer votre adresse e-mail ici.

Inclua aqui o seu comentário

Este campo aceita os atalhos SPIP {{negrito}} {itálico} -*liste [texte->url] <quote> <code> e o código html <q> <del> <ins>. Para criar parágrafos, deixe simplesmente linhas vazias.

Apoie o Portal