... e do Mundo! Fotografe, localize, compartilhe!
  1. Caatinga

Caatinga

A Caatinga compreende 844.453 km2, o que representa 11% de todo o território nacional. Em Pernambuco, tal bioma cobre 83% do Estado. A Caatinga é um mosaico fitofisionômico complexo caracterizado por uma vegetação xerofítica e decidual que ocupa toda a região semiárida do Nordeste do Brasil. Apesar da Caatinga ser considerada como o único bioma exclusivamente brasileiro, é provavelmente o menos estudado em relação a composição de sua fauna. Historicamente a Caatinga tem sido considerada como uma área pobre em espécies, reflexo de poucos empreendimentos científicos sistemáticos realizados na região, os quais foram restritos a poucas localidades e municípios. Porém, estudos sistemáticos recentes têm mostrado que a Caatinga abriga uma grande biodiversidade com um número importante de espécies endêmicas de todos os grupos de animais [1].

Número de espécies de vertebrados presentes na Caatinga
Peixes 240
Herpetofauna (Anfíbios e Répteis) 175
Aves 510
Mamíferos 156

Em relação aos invertebrados terrestres, vários especialistas consideram o bioma Caatinga como o menos conhecido, com menores graus de coleta.

Muitas das espécies que ocorrem atualmente na Caatinga encontram-se ameaçadas de extinção ou vulneráveis. A área alterada pelo homem na Caatinga pode variar de 223.100 km2 (30,38%) a 379.565 km2 (51,68%) [2], estando apenas menos de 1% de seu território protegido através de poucas unidades de conservação as quais recebem em média 0,5 dólares por hectare por ano para continuar existindo [3].

Observações

[1Albuquerque, U. P., de Lima Araújo, E., El-Deir, A. C., de Lima, A. L., Souto, A., Bezerra, B. M., ... & Pereira, G. A. (2012). Caatinga revisited: ecology and conservation of an important seasonal dry forest. TheScientificWorldJournal, 2012, 205182-205182

[2Castelletti, C. H. M., Santos, A. M. M., Tabarelli, M., & Silva, J. M. C. (2003). Quanto ainda resta da Caatinga? In I. R. Leal, M. Tabarelli, & J. M. Silva (Orgs.), Ecologia e Conservação da Caatinga. Recife: Editora da UFPE

[3Oliveira, A. P. C., & Bernard, E. (2017). The financial needs vs. the realities of in situ conservation: an analysis of federal funding for protected areas in Brazil’s Caatinga. Biotropica, 49(5), 745–752

Contribuições (67)

Triar: por data, por popularidade | Exibir : 9 mídias, 15 mídias, 30 mídias por página
  • Rhinella jimi

    "Sapo cururu na beira do rio Quando o sapo grita, ó Maninha, diz que está com frio A mulher do (...)

    Publicado em 31/08/2019

    49 visualizações

    0 comentário

  • Rhinella granulosa

    Rhinella granulosa é uma espécie de anuro de pequeno a médio porte, medindo entre 3 a 7 (...)

    Publicado em 27/08/2019

    18 visualizações

    0 comentário

  • Leptodactylus macrosternum

    Leptodactylus macrosternum é um espécie de anuro com ampla distribuição na America do Sul. Faz (...)

    Publicado em 26/08/2019

    10 visualizações

    0 comentário

  • Coruja-buraqueira

    A coruja-buraqueira é uma ave da família Strigidae amplamente distribuída no Brasil. Seu nome (...)

    Publicado em 20/08/2019

    13 visualizações

    0 comentário

  • Periquito da Caatinga

    Periquitos da Caatinga fazendo a festa um um milharal em final de colheita no sertão de (...)

    Publicado em 13/08/2019

    29 visualizações

    0 comentário

  • Borboletas frugívoras

    Em uma só foto, duas espécies de borboletas muito parecidas apresentando o mesmo comportamento, (...)

    Publicado em 07/08/2019

    34 visualizações

    0 comentário

  • Rhinella jimi

    Esta espécie pertencente à família Bufonidae é incrivelmente adaptada ao ambiente antropizado, (...)

    Publicado em 01/08/2019

    7 visualizações

    0 comentário

  • Omorgus suberosus

    Estes pequenos besouros da família Trogidae são criaturas que vivem totalmente ocultos sob folhas (...)

    Publicado em 01/08/2019

    19 visualizações

    1 comentário

  • Sagui se alimentando de goma

    O sagui-de-tufos-brancos (Callithrix jacchus) é um pequeno primata neotropical muito comum no (...)

    Publicado em 01/08/2019

    30 visualizações

    0 comentário

1 2 3 4 5 6 7 8

Apoie o Portal